Logo final - PPGEL - Com fundo branco

Redes sociais:

Linha 3 - Língua, Linguagens e Cultura

 

ALMEIDA, Fabíola A. S. D. P.; VIAN, Orlando; Anderson (Org.). A linguagem da Avaliação em Língua Portuguesa: Estudos sistêmico-funcionais com base no sistema de Avaliatividade. 01. ed. São Carlos: Pedro e João Editores, 2011. 

A linguagem da avaliação

 

ALMEIDA, Fabíola A. S. D. P.  Avaliação na linguagem: os elementos de atitude no discurso do professor. 01. ed. São Carlos SP: Pedro e João Editores Ltda, 2010. 
Avaliação na linguagem: os elementos de atitude no discurso do professor

 

COELHO, Braz José. Formação de Palavras: textos de apoio a aulas. Catalão: Caio Gráfica e Editora, 2013.

Formação de Palavras

 

COELHO, Braz José. Unidades morfológicas do português. Catalão: Caio Gráfica e Editora, 2011.

Unidades Morfológicas

 

COELHO, Braz José. Linguagem: lexicologia e ensino do português. Catalão: Kaio Gráfica e Editora Ltda, 2008. 120 p.

Obra premiada pelo Programa Catalão em Prosa e Verso, instituído pela Prefeitura Municipal de Catalão, Decreto no. 1979, de 30 de abril de 2008, em sua 1ª. Edição (2008). O livro contém 3 ensaios. O dois primeiros pertencem à área das ciências do léxico: lexicografia, o primeiro, e lexicologia, o segundo. O último insere-se no campo da didática, mais especificamente à área do ensino de língua portuguesa.

 Linguagem Lexicologia

  

COELHO, Braz José. Unidades Fonológicas do Português. Goiânia: Trilhas Urbanas, 2008. 104 p.

O livro propõe apresentar algumas considerações sobre as unidades fonológicas da língua portuguesa e suas relações com a grafia. Trata-se de pesquisa realizada a respeito das relações existentes entre fonema e letra, isto é, do fonema com sua representação gráfica, contemplando a perspectiva da escrita, e a relação inversa, da letra com o fonema, caracterizando uma abordagem do ponto de vista da leitura.

   Unidades Fonológicas do Português.

 

COELHO, Braz José. Educação e Linguagem: reflexões ligeiras. 2. ed. Goiânia: Trilhas Urbanas, 2007. 132 p.

O livro contém seis ensaios. Na Proposição há o comentário: “Com o título de Educação e Linguagem – reflexões ligeiras, reúno seis trabalhos escritos em épocas diferentes, mas propósitos aproximados [...]. De um modo geral, com eles procuro verificar alguns aspectos e dimensões de dois fenômenos – linguagem e educação – que se acham intimamente relacionados e que constituem matéria e conteúdo de minha prática profissional. E o faço, primeiro, no sentido de procurar compreendê-los melhor; não com mais profundidade e minúcias, mas buscando um pouco de clareza e segurança na compreensão. E, segundo, no intento de estabelecer uma ligação esclarecedora e responsável entre a compreensão desses dois fenômenos e a prática do magistério.”

 Educação e Linguagem

   

COELHO, Braz José. Estruturas e funcionamento da Língua Portuguesa. Goiânia: Trilhas Urbanas, 2006. 98 p. 

Uma das definições possíveis de língua é considerá-la um sistema de signos e suas possibilidades combinatórias – definição que privilegia o modo pelo qual uma língua se organiza internamente. A escolha da presente definição, como ponto de partida para o presente estudo, deve-se ao material de observação que se pretende verificar – as estruturas que possibilitam a organização e o funcionamento das línguas. O presente trabalho procura encontrar as unidades constitutivas da língua portuguesa e demonstrar o modo pelo qual tais unidades se combinam formando estruturas funcionais que permitam a realização concreta dos múltiplos e variados atos de fala. 

Estruturas e funcionamento da Língua Portuguesa

 

COELHO, Braz José. A comunicação verbal e suas implicações didático-pedagógicas. 3. ed. Goiânia: Trilhas Urbanas, 2005. 124 p.

Na proposição do livro: “Este trabalho é uma reflexão ligeira, sem preocupações nem pretensões de profundidade, sobre a comunicação verbal e suas implicações didático-pedagógicas, sugeridas pelo modelo de comunicação formulado pelo linguista Roman Jakobson para seu estudo das funções da linguagem [...]. Tem-se como certo que uma reflexão sobre o ato da comunicação verbal resulta importante a todo e qualquer professor, não importa a disciplina que lecione. Ainda mais: que no próprio ato da comunicação verbal subjaz uma série de sugestões didático-pedagógicas que, se conhecidas e levadas em conta, muito beneficiam o trabalho do professor e a aprendizagem do aluno.”  

A comunicação verbal    

 

COELHO, Braz José. Linguagem: conceitos básicos. Goiânia: Trilhas Urbanas, 2005. 122 p.

O livro contém três ensaios. O primeiro propõe uma discussão sobre a ligação entre linguagem, consciência, apreensão e transmissão da realidade circundante. O segundo procura demonstrar o cunho de natureza científica dos estudos efetivados pela linguística. Partindo da afirmação de que a linguística é uma ciência, procura explicar os conceitos de modalidades de conhecimento, ciência, objeto de estudo, material de observação, método, sistema, estrutura, relação e função, a fim de que a afirmação inicial seja justificada. O terceiro procura apresentar alguns conceitos básicos necessários à compreensão do fenômeno linguagem e de seu estudo, não contemplados nos textos anteriores: competência, norma linguística, dialeto, socioleto, idioleto, signo, sintagma, paradigma, procedimento metodológico – são alguns deles.

Linguagem Conceitos Básicos

 

 

NUNES, Gisele da Paz. Alfabetização pela cartilha: implicações didáticas, pelo DEPECAC/ Editora Letras do Cerrado, 2014.

Este livro é o resultado da análise de seis cartilhas tradicionais usadas por professores de escolas públicas de Catalão (GO). Com base na Linguística, a autora discute muitos problemas que os alfabetizadores enfrentam no cotidiano, em sala de aula, e critica as cartilhas por estes dois motivos: oferecem um ensino padronizado a todas as crianças, como se elas fossem iguais, e se propõem a desenvolver apenas o letramento. Assim, a partir de referencial teórico consistente, apresenta uma ampla pesquisa sobre os aspectos históricos e as diferentes concepções da alfabetização; estabelece uma comparação entre o sistema de sílabas, por meio de palavras-chave, nas cartilhas, e a aquisição da fala e entre alfabetização e letramento; além disso, citando Cagliari, mostra que a leitura precede a escrita.

Alfabetização

 

DE PAULA, Maria Helena et al. (Org.) Estudos Interdisciplinares em Humanidades e Letras. 1. ed. São Paulo: Blücher Editores, 2016. v. 1.

Coletânea de textos resultantes de trabalhos apresentados no III Seminário de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação (III SPPGI), da UFG - Regional Catalão. 

Estudos Interdisciplinares em Humanidades e Letras

 

PAULA, Maria Helena de. (Org.). Língua e cultura: estudos de léxico em perspectiva. Catalão, GO: DEPECAC/UFG, 2014

Em meio à crescente e inquestionável relevância dos estudos lexicais na área de Linguística, a demonstrar o consolidado Grupo de Trabalho de Lexicologia, Lexicografia e Terminologia, o GTLEX, no âmbito da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Letras e Linguística, ANPOLL, em 1986, a presente coleção vem responder a uma demanda de divulgação dos resultados de estudos e pesquisas e, sobretudo, dar visibilidade aos estudos lexicais realizados na Unidade Acadêmica de Letras e Linguística da Universidade Federal de Goiás/Regional Catalão. Representa, sobremaneira, o esforço de pesquisa da sua organizadora na dinâmica de trabalho no Grupo de Estudos e Pesquisas em História do Português, cadastrado no CNPq e certificado pela UFG, junto aos seus integrantes e a pesquisadores parceiros, vinculados a outras instituições de ensino e pesquisa, como UEG, UNESP, UEL, UFMS, UEMS, com estudos fomentados por FAPs, CNPq e CAPES. A unidade temática da coletânea configura-se no eixo norteador de todos os textos, qual seja, a relação entre língua e cultura, notadamente nos estudos lexicais que se distribuem em dois estudos sobre lexicografia, em especial na relação entre português e francês; um sobre fraseologismos e cultura, na perspectiva da neologia; um sobre toponímia goiana; três sobre lexicologia do português usado em Goiás durante três séculos diferentes e um sobre a necessidade de se considerar o continuumrural e urbano para o estudo do léxico no Centro-Oeste brasileiro.

Lexico e cultura

 

PAULA, Luciane Guimarães; PAULA, Maria Helena de. (Org.). Confluências na linguagem: Língua, discurso e ensino. Goiânia: FAPEG, 2013

Financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás – FAPEG, a coletânea, dá a conhecer, sob a forma de livro, a produção das apresentações orais dos autores coordenadores de Grupos de Trabalho, mesas-redondas e conferência do SINALEL - Simpósio Internacional de Letras e Linguística – que, na sua terceira edição, aconteceu entre 11 e 14 de junho de 2013 na Regional Catalão da UFG. Almeja-se que esta seja uma coletânea em que fiquem registradas as convergências entre temas relacionados à língua(gem) em suas diversas facetas. Para isso, organizaram-se os capítulos em três seções, de modo a agrupá-los em interesses dos estudos de língua, com textos sobre fonologia, léxico, filologia e ortografia. O discurso compreende o cerne de outros quatro capítulos, que têm como corpora literatura/série televisiva, literatura de autoajuda, notícias de jornal e inscrições e(m) corpos em protesto de rua. Para dar às questões de ensino a dimensão que lhes cabe nessa tarefa de tomar a linguagem como o ponto para qual se confluenciam os estudos da coletânea, as práticas de ensino de línguas estrangeiras são apresentadas sob a ótica da pedagogia da tradução, as discursividades sobre a fluência em inglês e os desafios que se impõem a alunos e professores e que atuam na construção da identidade profissional, além de discussões sobre variação linguística em um contexto de língua materna. 

Confluências na linguagem 

 

PAULA, Maria Helena de; FACHIN, Phablo Roberto Marchis (Orgs.). Percorrendo trilhas filológicas: estudos para a história da Língua Portuguesa (em homenagem a Heitor Megale). 1. ed. Goiânia: DEPECAC/FUNAPE, 2010.

A coletânea reúne resultados de pesquisas que tomam a prática filológica como fundamento metodológico e, sob diferentes perspectivas teóricas, investigam aspectos da história da língua portuguesa, tais que: dois capítulos sobre as oscilações sistemáticas da ortografia nos séculos XVII e XVIII na língua portuguesa manuscrita no Brasil; a variação diacrônica de uso das formas ter e haver; análise de percusos do dialeto caipira na região de Capivari-SP; estudos de documentação manuscrita tematizando sobre a escravidão negra na região de Catalão-GO no século XIX; notícias da capitania de Goiás em uma investigação interdisciplinar sobre a organização político-administrativa e sua configuração léxica; estudo acerca da importância das fontes nos estudos linguísticos, sejam com a modalidade escrita atual ou antiga ou com a modalidade oral, cotejando dados manuscritos do século XIX com dados orais atuais na região de Catalão. Percorrendo trilhas filológicas: estudos para a história da Língua Portuguesa (em homenagem a Heitor Megale) é o resultado de parcerias entre o Departamento de Letras do CAC-UFG e o Programa de Pós Graduação em Filologia e Língua Portuguesa da Universidade de São Paulo (USP), sob a forma de cooperação em pesquisas do Grupo de Estudos em Filologia da USP (GEFUSP) e do Grupo de Estudos e Pesquisas em História do Português (GEPHPOR), do CAC-UFG.

Percorrendo trilhas