Logo final - PPGEL - Com fundo branco

Redes sociais:

Linha 2 - Literatura, Memória e Identidade

BORGES, Luciana; BARROS, Sulivan Charles. Interfaces do Gênero II: Linguagens, Imagens, Representações. Goiânia: Gráfica da UFG, 2017.

Essa coletânea de textos apresenta leituras de objetos textuais e de imagens, estáticas ou em movimento, instigadoras da reflexão sobre os modos como são compreendidos o sexo, o gênero, a masculinidade, a feminilidade, a orientação sexual, as identidades de gênero e as diversas questões relativas ao imenso espectro das proposições desconstrutoras da relação biunívoca entre as determinações biológicas e as interpretações sociais da diferença sexual. Constituído por um leque de artigos de variadas proposições, o presente livro intenta contribuir para o campo dos estudos de gênero, bem como apresentar possibilidades de leituras contextuais e de objetos culturais e artísticos. Entendendo que a linguagem, em suas diversas modalidades e facetas, é constitutiva do ser humano, consideramos esse universo de palavras e imagens como representativos das possibilidades de manutenção e/ou reconfiguração das elaborações do gênero e sua compreensão coletiva. Desse modo, percorrer os atravessamentos de gênero e suas representações na literatura, no cinema, nas leis e nas manifestações sociais por meio de redes e vivências em ambientes virtuais de interação mostra-se uma estratégia positiva no sentido de se pensar o gênero como categoria não estática, mas em constante movimento.

Interfaces do Gênero II

 

BORGES, Luciana; RODRIGUES, Carla; RAMOS, Tânia Regina O (Org.). Problemas de gênero. Rio de Janeiro: Funarte, 2016.

Problemas de Gênero

 

 

BORGES, Luciana, FONSECA, Pedro Carlos Louzada (Org.). A mulher na escrita e no pensamento: ensaios de literatura e percepção. Catalão, GO: FUNAPE/DEPECAC, 2013. 

A mulher na escrita e no pensamento: ensaios de literatura e percepção é uma coletânea de trabalhos que, por meio de diferentes perspectivas e focos críticos e reflexivos, pretendem discutir e analisar a escrita de mulheres e sobre mulheres na literatura, em cruzamento com os modos de pensar que circulam sobre o que se considera feminino em nossa sociedade. As múltiplas percepções e construções do feminino no pensamento ocidental e sua representação na literatura – e em textos de interface – compõem o tema comum em torno do qual se organizam os ensaios. No intuito de contribuir com o campo dos estudos feministas e de gênero, visivelmente consolidados no meio crítico brasileiro fora e dentro da academia, os ensaios apresentam possibilidades de leitura do literário mediante o escrutínio das imagens de mulher construídas nesse universo, bem como a revisão das concepções naturalizadas do feminino no estabelecimento das expectativas de gênero.

A mulher na literatura

BORGES, Luciana; DIAS, Luciana de Oliveira; CARRIJO, Silvana Augusta Barbosa (Org.). Gênero, Linguagens e Etnicidades. Goiânia: FUNAPE/Ciar/UFG, 2013.
Os textos apresentados no livro Gênero, Linguagens e Etnicidades expressam resultado de investigação epistemológica cuidadosa, concretizada tanto por levantamentos bibliográficos criteriosos, quanto pela realização de pesquisas de campo aprofundadas. O intuito geral é fomentar um profícuo debate acerca de questões de gênero (gender), manifestas em práticas socioculturais e religiosas, vivências e relatos literários que revelam realidades de mulheres silenciadas, abrangendo também a dimensão das sexualidades não hegemônicas abordadas tanto na literatura, quanto na arte. A inserção da problemática do gênero no âmbito escolar também é examinada com a investigação de práticas educativas e de leituras que apontam a necessidade de abordar a perspectiva de gênero no ensino como processo fundamental e urgente frente a várias modalidades de preconceitos, sejam eles relativos ao gênero, à raça e etnia, à sexualidade.

Gênero e diversidade 

 

 

 

BORGES, Lucianas; FERNANDES JÚNIOR, Antonio (Orgs.). O corpo na literatura e na arte: teorias e leituras. Goiânia: FUNAPE / Ciar, 2013. 

O corpo na literatura e na arte: teorias e leituras, é uma reunião de textos que focalizam a leitura de textos cuja construção se vincula à presença do corpo. No contexto da arte literária – em suas diversas modalidades e gêneros – e de outras artes – cinema, fotografia, e partindo de perspectivas teóricas diversas, mas que se afinam às questões contemporâneas, os textos exploram os vieses do corpo, suas nervuras e ranhuras, subsidiados pelo olhar iluminador da ficção ou das artes plásticas. Assim, os estudos culturais e de gênero, as formulações sobre o erotismo, as compreensões teóricas da identidade, a reflexão estética sobre os modos de compor|decompor o corpo, comparecem nos textos expondo um variado espectro de imagens corporais.  

 

O corpo na literatura

 

 

BORGES, Luciana. O erotismo como ruptura na ficção brasileira de autoria feminina: um estudo de Clarice Lispector, Hilda Hilst e Fernanda Young. Florianópolis: Mulheres, 2013.

O erotismo como ruptura na ficção brasileira de autoria feminina: um estudo de Clarice Lispector, Hilda Hilst e Fernanda Young, propõe uma leitura focada em um aspecto bastante específico da obra de três diferentes autoras da recente cena literária brasileira: a presença do erótico, seu procedimento de realização e argúcias de seu efeito mimético no discurso literário em cruzamento com questões de gênero e da condição feminina. O intuito é observar o tratamento do erótico, do pornográfico ou do obsceno nas obras de ficção em estudo a partir de uma perspectiva de gênero que considera as noções de cânone e valor literário balizadas não apenas por aspectos estéticos, mas permeadas por uma política de estabelecimento e conformação do campo literário.

 

Erotismo

 

BORGES FILHO, Oziris (Org.). O espaço literário: textos teóricos. Franca: Ribeirão Gráfica e Editora, 2016.

Este é um livro raro! Único não só no Brasil! Até onde sabemos, esta é a única antologia de textos teóricos a respeito da categoria literária do espaço. Índice: Para uma semiótica do espaço(Vladimir Nicolaevic Toporov); Para uma teoria do espaço na narrativa(Gabriel Zoran); A Ilusão Secundária Espacial(Joseph A. Kestner); O espaço romanesco: tentativa de definição(Jean Weisgerber); A organização do espaço no romance(Roland Bourneuf); Por uma metodologia do espaço narrativo(Maria Teresa Zubiaurre); As estruturas espaciais do relato(Angelo Marchese); Mudanças históricas da função da descrição espacial em textos literários(Elrud Ibsch); Por uma abordagem geocrítica dos textos(Bertrand Westphal); O conceito de fronteira e A simbologia de São Petersburgo e os problemas da semiótica da cidade(Iúri Lotman); Ecologização da biblioteca: os fundamentos e futuro da ecocrítica(Loretta Johnson)

O espaço literário

 

BORGES FILHO, Oziris; BARBOSA, Sidney (Org.). O Espaço Literário na Obra de Vergílio Ferreira. São Paulo: Todas as musas, 2016.

O espaço Vergílio Ferreira

 

BORGES FILHO, Oziris; LOPES, Ana Maria Costa; Fernando Alexandre de Matos Pereira (Org.). Espaço e literatura: perspectivas. Franca: Ribeirão Gráfica e Editora, 2015.

Neste livro, encontram-se reunidos os artigos frutos das mesas-redondas realizadas na 2ª JOEEL - Jornada Internacional de Estudos sobre o Espaço Literário

Espaço e literatura perspectivas

 

BORGES FILHO, Oziris; BARBOSA, Sidney (Org.). Espaço, Literatura e Cinema. São Paulo: Todas as musas, 2014.

Neste livro, encontram-se reunidos os artigos frutos das mesas-redondas realizadas na 1ª JOEEL - Jornada Internacional de Estudos sobre o Espaço Literário.

Espeço literatura e cinema

 

BORGES FILHO, Oziris; BARBOSA, Sidney (Org.). Poéticas do espaço literário. São Paulo: ClaraLuz, 2009.

Este livro foi organizado por mim e pelo amigo Sidney Barbosa. Trata-se de um livro, cremos, que possibilitará ao leitor uma visão abrangente dos estudos sobre as representações do espaço na obra literária, sugerindo, ainda, novos caminhos ao pesquisador iniciante ou não.

Poéticas do espaço

 

BORGES FILHO, Oziris. Espaço e Literatura: introdução à Topoanálise. Franca: Ribeirão Gráfica e Editora, 2007.

Esta obra tem por objetivo estudar a categoria do espaço na obra literária. Dentre as categorias da narrativa, a saber, espaço, tempo, enredo, personagem, foco narrativo, o espaço tem sido a menos explorada. Até hoje, falta uma obra básica que tivesse sistematizado o estudo do espaço em relação à literatura e que também pudesse desenvolver um pouco a teoria do espaço na obra literária. Tal é a pretensão da presente obra. Aproveitando a sugestão terminológica de Gaston Bachelard, mas ampliando sua extensão, chamamos a esse estudo do espaço na obra literária de TOPOANÁLISE. Nesse sentido, esta obra propõe a análise do espaço baseada nos seguintes pontos: a segmentação dos espaços; coordenadas espaciais; a espacialização; os gradientes sensoriais; a fronteira; a morfossintaxe espacial; a topopatia; a toponímia.

Topoanálise

 

 

CARDOSO, João Batista.  Noções de Literatura Portuguesa: do Trovadorismo ao limiar do Modernismo. Goiânia: Espaço Acadêmico, 2017.

Esta obra é o resultado de leituras, aulas recebidas e ministradas, discussões com alunos e pesquisadores ao longo de mais de duas décadas. O leitor, certamente, não entende como tantos anos gera um texto tão curto. Se for confrontado com essa advertência minha resposta está pronta. Direi apenas que se trata de uma obra para a sala de aula, porque foi da sala de aula que ela saiu. À medida que as explicações e as discussões fluíam na sala de aula, busquei anotar o que falava, registrar em fichas que serviriam para utilização em aulas posteriores. Foi daí, desse esforço paciente que surgiu a obra “Literatura Portuguesa: do Trovadorismo ao limiar do Modernismo”.

Noções de Lit Portuguesa

 

 

CARDOSO, João Batista.  Literatura Brasileira: do barroco ao realismo mágico do pós-1945Goiânia: Espaço Acadêmico, 2017.

Eis uma obra que não se restringe a uma mera descrição do fenômeno literário em sua dinâmica temporal, sem ignorar um olhar diacrônico, ela perscruta os significados que cada momento histórico transfere para as obras, a partir do vislumbre necessário do intercâmbio que se dá entre as obras e o contexto subjacente à sua produção. Começando com o barroco e seu homem fragmentado, ela prossegue pelas estéticas do interregno até chegar ao realismo mágico do pós-1945. Esperamos que ela possa ajudar o público em geral que pretende ter, da literatura brasileira, um conhecimento inicial. Para alguns ela se bastará, quanto aos mais exigentes, ou àqueles que amam a ciência que estuda literatura, aconselhamos que continuem a leitura em obras de autores canônicos, cujos nomes estão na lista de referências ao final do presente estudo.

Literatura Brasileira

 

 

CARDOSO, João Batista. A inserção da história na ficção latino-americana. Goiânia: Espaço Acadêmico, 2016.

A inserção

 

CARDOSO, João Batista; CAMARGO, Flavio Pereira (Org.). Narrativa brasileira contemporânea: ensaios críticos.  São Paulo: Fonte Editorial, 2016.

 

CARDOSO, João Batista. Metodologia da pesquisa científica e produção do texto acadêmico, para alunos da graduação e da pós-graduação. Goiânia: Espaço Acadêmico, 2016.

Metologia 

 

CARDOSO, João Batista. Para escrever corretamente. Goiânia: Espaço Acadêmico, 2015.

 Para escrever corretamente

 

 

CARDOSO, João Batista. Lições de Literatura Portuguesa: do Romantismo ao Modernismo. 1. ed. Goiânia: Espaço Acadêmico, 2015. 127 p .

Lições de Literatura Portuguesa

 

CARDOSO, João Batista. Leitura e Produção de Texto: do básico ao universitário. 2ed. Espaço Acadêmico Editora, 2014.

 Leitura e Produção do texto

 

CARDOSO, João Batista (Org.). Outras vozes na ficção: reflexões. Goiânia: Editora América, 2014.

Em sua relação com o contexto, o texto literário exprime o que a historiografia omite. Dessa forma, a literatura permite que o diálogo entre o homem e sua realidade possa fluir de tal maneira que deixe aflorar as contradições presentes nessa relação. Fiel a essa assertiva, esta obra toma a literatura como um espelho para as angústias e os devaneios da sociedade a que se vincula, na medida em que estuda, no âmbito da ficção, a situação do homem submetido à ditadura do consumo, a pobreza que leva muitos à condição de favelados e a buscar alimentos no lixo, encontrando também a morte, a questão dos retirantes que, saindo do norte em busca da sobrevivência no sul, ficam pelo caminho, explorados por outros, sem condições de seguir em frente, nem retornar para a terra ancestral, os fatos políticos nos espaços esquecidos do interior do Brasil, onde as relações de coronelato apenas mudam de nome, mas permanecem com o mesmo conteúdo.

Outras vozes

 

CARDOSO, João Batista; CAMARGO, Flavio Pereira (Org.). Estudos de ficção brasileira contemporânea: produção, recepção e crítica. 1ed. São Paulo: Fonte Editorial, 2014.

Esta obra estabelece um olhar panorâmico sobre a literatura brasileira contemporânea, focalizando diferentes autores e obras que, no conjunto, formam um mosaico que expressa a tendência e as características dessa literatura nos tempos que transcorrem. Essa tendência traduz-se pela violência, pelo fantástico, pelo regionalismo mágico e, sobretudo, pelos excessos que marcam uma sociedade inserida num universo de fronteiras culturais diluídas. 

 Estudos de Ficção Brasileira Contemporânea

 

CARDOSO, João Batista. Uma cruz no sertão: história e mito em Canudos. 1. ed. Goiânia: América, 2014. 303 p.

Uma Cruz no Sertão

 

CARDOSO, João Batista. No compasso da carne: romance. 1. ed. Goiânia: América, 2013. v. 1. 164 p .

No compasso da carne

 

CARDOSO, João Batista (Org.). Olhares críticos sobre a literatura na prática docente. Goiânia: PUC, Editora América, 2012.

Esta obra reflete, como o título aponta, a preocupação com a interlocução entre literatura e ensino. As opiniões sobre essa interação são, às vezes, divergentes, considerando que há aqueles que não admitem o texto literário como instrumento de aprendizagem e os que entendem que a recepção da obra literária pode transcender a camada estética e a fruição. Nosso entendimento é de que, independentemente das posições, a inserção do texto na sala de aula não pode ser feita sem planejamento, sem que o professor tenha em mente o que, de fato, pretende com o texto entre seus alunos. Essas ponderações encontram ressonância nos diversos capítulos.

Olhares críticos

 

 

CARDOSO, João Batista. Um médico em chamas: romance. 1. ed. Goiânia: PUC-GO, 2012. 184 p .

Um médico em chamas

 

CARDOSO, João Batista; CAMARGO, Flávio Pereira (Orgs.). Percursos da narrativa brasileira contemporânea: coletânea de ensaios. 2. Goiânia: Editora da PUC Goiás, 2011.

Dando sequencia ao primeiro volume lançado em 2009, os professores e pesquisadores João Batista Cardoso e Flavio Camargo reúnem nesta coletânea artigos que tematizam a narrativa brasileira contemporânea de autores como Caio Fernando Abreu, João Gilberto Noll, Haroldo Maranhão e José J. Veiga, dentre outros.

Percursos da narrativa brasileira contemporânea (Vol. 2)

 

CARDOSO, João Batista, BALBINO, Evaldo; CUNHA NETO, F. Ferreira da (Org.). Literaturas ibero-afro-americanas: ensaios críticos. 1. ed. Goiânia: Editora da PUC Goiás, 2010.

Este livro foi organizado por João Batista Cardoso em colaboração com Evaldo Balbino e Fernando Ferreira da Cunha Neto e publicado pela Editora da Pontifícia Universidade Católica de Goiás em 2010. A coletânea tem o propósito de apresentar aos leitores um mosaico de apreensões/interpretações de estudiosos sobre o que convencionalmente se chama ficção, aqui concebida como algo que impulsiona e dá diretivas, tornando-se, dessa forma, um dos sustentáculos do humano, desde que a espécie firmou-se no solo do minúsculo planeta que habitamos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

 

 

CARDOSO, João Batista. Um mapa da história sobre o mapa da ficção. 1. ed. Goiânia: Editora da UCG, 2009.

Livro escrito por João Batista Cardoso e publicado pela Editora da Universidade Católica de Goiás em 2009. Seu tema é o problema da relação entre texto e contexto no universo histórico e ficcional da América Latina, partindo do princípio de que a interação entre a história e a literatura latino-americana reflete a identidade cultural e ideológica entre as nações do continente. Essa identidade — aguçada no contexto histórico de um mundo globalizado — tem contribuído para a derrocada das fronteiras culturais entre os países. 

 Um mapa

 

CARDOSO, João Batista; CAMARGO, Flávio Pereira (Org.). Percursos da narrativa brasileira contemporânea: coletânea de ensaios. 1. ed. João Pessoa: Realize Editora, 2009.  

Este livro foi organizado por João Batista Cardoso em colaboração com Flávio Pereira Camargo e publicado pela Editora da Universidade Federal da Paraíba em 2009. Os textos que compõem a coletânea resultaram de pesquisas desenvolvidas em diversas instituições de ensino superior. Os percursos da narrativa brasileira contemporânea diversificam-se por espaços teóricos de abordagem que abrangem desde a literatura em sua imanência até aqueles aspectos textuais iluminados pelo olhar exegeta dos estudiosos que aqui compareceram com seus textos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CARDOSO, João Batista. Literatura do cacau: ficção, ideologia e realidade em Adonias Filho, Euclides Neto, James Amado e Jorge Amado. 1. ed. Ilhéus: Editus - Editora da UESC, 2006.

Produzido por João Batista Cardoso e publicado pela Editora da Universidade Estadual de Santa Cruz em Ilhéus, no ano de 2006. Enfatiza a literatura do cacau que ocupa lugar de destaque na literatura brasileira, não só devido à riqueza e diversidade dos textos, como também porque se caracteriza por uma postura humanista recorrente na intelligentsia nacional, desde o final do século XIX. Essa literatura é marcada também por uma redescoberta do Brasil, continuando uma tradição que, até ali, havia encontrado seu ápice em Euclides da Cunha, cuja obra enfocou a questão do oprimido e indicou possibilidades de superação.

Literatura cacau

CARDOSO, João Batista (Org.). Literatura e prática docente: Pontos e contrapontos Goiânia: Editora da PUC Goiás, 2008.

Esta coletânea de ensaios críticos aborda os desafios colocados pela modernidade à prática docente. Na época em que vivemos, há uma diversidade de suportes para o texto assim como distintas maneiras de abordar a literatura. Se antes o acesso ao texto literário estava restrito ao livro impresso em papel, hoje, na era tecnológica, o livro é apenas mais um dos recursos para leitura. Essa fragmentação de recursos induz à concepção de que a discussão do ensino de literatura deve ser tão abrangente quanto possível para que se possa dar conta da diversidade. Fiel a esse princípio, esta obra, a despeito de estar restrita à forma impressa, reservou também um espaço para discutir a literatura em meio virtual, o que aponta para a diversidade da apresentação. 

 Prática docente

 

 

CARDOSO, João Batista. Teoria e prática de leitura, apreensão e produção de texto. Brasília - Sao Paulo: Editora Universidade de Brasília - Imprensa Oficial de São Paulo, 2001. v. 1. 192p .

 Teoria e prática de leitura

 

 

CARRIJO, Silvana Augusta Barbosa. Trama tão mesma e tão vária: Gêneros, memória e imaginária na prosa literária de Lya Luft. Porto Alegre: Editora Prismas, 2013. 

A prosa literária da escritora gaúcha Lya Fett Luft (1937) caracteriza-se por um conjunto recorrente de imagens, símbolos e mitos, dispersos numa multiplicidade de formas textuais.Romances, memorial de infância, ensaios, romance ensaístico, crônicas, fábulas e contos constituem as modalidades textuais de sua prosa, paralela à produção de textos poéticos. A presente obra examina, numa perspectiva panorâmica, o diálogo estabelecido entre ficção, reflexão e memória no todo da prosa literária luftiana, através de um corpus literário principal a compreender os romances As parceiras (1980), O quarto fechado (1984), A sentinela (1994), O ponto cego (2003), o memorial de infância Mar de dentro (2002) e o livro de crônicas Pensar é transgredir (2004). Corroborando a análise desse corpus literário principal, é também examinado um corpus literário secundário formado pelos romances A asa esquerda do anjo (1981), Reunião de família (1982), Exílio (1987) e pelos textos de reflexão Secreta mirada (1997), Histórias do tempo (2000) e Perdas e ganhos (2003). 

Trama tão mesma

 

CAVALCANTE, Maria Imaculada. Lugares e estações da literatura e da pintura no romance moderno. Goiânia: DEPECAC/UFG.

Sabemos que o entendimento da relação entre arte e pintura pressupõe uma educação do olhar, da sensibilidade e da percepção estética tanto para o artista quanto para o leitor e o crítico e que essas relações obtiveram da sociedade valores diferentes no tempo e no espaço. Portanto, os estudiosos e interessados pelos estudos interartes, especificamente pelas relações entre literatura e pintura, têm muito a vislumbrar a partir das análises e discussões de personagens dos romances estudados pelos organizadores desta coletânea, escrita com sensibilidade acurada e teor crítico persuasivo.

Lugares da pintura

 

 

SILVA, Alexander Meireles da. Literatura inglesa para brasileiros. 2ed. Rio de Janeiro: Ciência Moderna, 2005.

Literatura Inglesa para Brasileiros apresenta-se como uma obra que preencherá as lacunas, ora abertas, na bibliografia disponível. A amplitude do tema - da literatura anglo-saxônica à literatura pós-moderna - em nada compromete sua consistência teórica. Pelo contrário, os assuntos são tratados com a profundidade necessária ao escopo da obra, em linguagem leve, atraente e acessível àqueles que iniciam seus estudos em literatura inglesa.

Literatura inglesa